Esquema corporal em indivíduos com Síndrome de Down: uma análise através da dança

  • Suellen Furlan Escola Superior de Educação Física de Jundiaí
  • Vanessa Aparecida Vieira Moreira Escola Superior de Educação Física de Jundiaí
  • Graciele Massoli Rodrigues Escola Superior de Educação Física de Jundiaí

Resumo

A síndrome de Down é uma anormalidade genética e ocasiona diversas alterações físicas e biológicas que acarretam um atraso no desenvolvimento motor do indivíduo. Os fatores limitantes do quadro sindrômico implicam na restrição de alguns aspectos do desenvolvimento motor e interacional, os quais refletem no esquema corporal do sujeito e na esfera proprioceptiva, sendo, portanto, fator de intervenção profissional no âmbito da estimulação educativa. Diante desse contexto o objetivo dessa pesquisa foi analisar o desenvolvimento do esquema corporal em indivíduos com síndrome de Down através da prática da dança. Utilizamos a pesquisa descritiva qualitativa do tipo revisão bibliográfica e desse modo constatamos que os aspectos que favorecem o desenvolvimento do esquema corporal e as necessidades e limitações dos portadores de síndrome de Down podem ser trabalhados através das características inerentes da prática da dança. Verificamos que diversos autores apontam que a dança instiga a execução dos mais variados movimentos e ainda, o trabalho de repetição o que favorece a autocorreção e uma maior fixação da aprendizagem do movimento. Com ampliação da exploração e opções de movimentos a pessoa com síndrome de Down torna-se apta a reconhecer seu espaço, ritmo, direções e a reconhecer as partes do seu corpo configurando seu corpo no espaço pela estruturação do esquema corporal estimulada. Concluímos que com a dança pode-se focar o trabalho em grupo, a expressão corporal e a exploração dos mais variados movimentos, além de contar com elementos como a música e o ritmo, que favorecem a ludicidade da intervenção e ao mesmo tempo, agucem o seu domínio psicomotor.
Publicado
2009-11-19