TESTAGEM DE PROTOCOLO DE CHUTE E PASSE DO FUTEBOL EM PRATICANTES NÃO TREINADOS

Vinicius Barroso Hirota, Elias de França, Carlos Eduardo Lopes Verardi, Ronê Paiano, Ademir de Marco

Resumo


O presente trabalho objetivou identificar o nível de performance de habilidade motora do futebol, em 54 participantes, não treinados, com idade entre 18 a 40 anos (média de idade 19,56±2,25 anos), sendo 23 mulheres e 31 homens. A análise foi feita de acordo com os protocolos propostos por Mor-Christian de Habilidades e Destrezas Gerais do Futebol (1979), citado por Tritschler (2003), em que avaliamos o chute, o passe. Os resultados mostraram que os participantes do gênero masculino apresentaram maior número de acertos e nacionalidade na execução das duas habilidades avaliadas, quando comparados as mulheres participantes. Vale destacar que a maior pontuação foi de 240 pontos dos homens em chutes rasteiros, contra 170 também em chutes rasteiros proferidos pelas mulheres. Em relação ao passe, em todos os casos, o desempenho dos homens foi melhor que das mulheres, no entanto essa diferença não foi significante. É oportuno ressaltar que as aprendizagens e execução das habilidades motoras treináveis são a somatória de diversos fatores influenciáveis, como característica biológica de cada grupo, assim como o contexto cultural envolvido, e que neste caso estudado os homens apresentaram melhor desempenho nas habilidades de chute e passe do futebol.

Palavras-chave: habilidade motora; futebol; sujeitos não treinados.


Texto completo:

PDF