Cartografia Afetiva em Paraisópolis

maio de 2018 a março de 2019

  • Wagner Rezende Universidade Federal de Goiás
  • Angélica Alvim Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Luiz Guilherme Castro Universidade Presbiteriana Mackenzie

Resumo

A apropriação dos espaços públicos nas áreas informais das cidades latino-americanas é um tema de grande relevância na atualidade. Técnicas de mapeamento associadas a fotografias que expressem as distintas formas de apropriações do espaço público podem ser consideradas importantes instrumentos de análise e definição de políticas públicas inclusivas. Este ensaio apresenta, de modo sintético, a “cartografia afetiva”, um método de análise urbana segundo o qual se procura vincular os modos de interações das pessoas nas diversas situações do cotidiano à morfologia urbana das cidades. A partir da combinação de técnicas de cartografia, fotografias e entrevistas procura-se mapear a percepção urbana dos moradores locais de Paraisópolis, uma das maiores favelas de São Paulo. Construído com base em teorias urbanas contemporâneas, o método propõe a análise das apropriações das ruas de Paraisópolis e suas bordas, segundo os conceitos de coexistência, memória e diversidade. O objetivo deste estudo é instrumentalizar pesquisadores possibilitando leituras dos ambientes das ruas e testando associações significativas por meio de caminhadas etnográficas.

Publicado
2020-02-25
Seção
Projetos