Políticas urbanas no Pós-Fordismo

o caso do Puerto Norte em Rosario, Argentina

  • Arthur Martins de Oliveira PUCPR - Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana (PPGTU)

Resumo

O enfraquecimento do fordismo aliado a ascensão de políticas neoliberais estabeleceram, após a década de 70, novas formas de produção do espaço urbano. Tais formas, num sentido cada vez mais mercadológico, promoveram impactos em diferentes escalas nas cidades. Com o objetivo de discutir esses impactos, o presente artigo apresenta-se em duas partes. Na primeira destaca-se: a) as transformações funcionais e físico-espaciais das indústrias fordistas, dando origem a novas formas de ocupação industrial nas cidades; e b) as modificações das políticas urbanas, que através de estratégias de planejamento e gestão, como é o caso dos Grandes Projetos Urbanos, visaram a reconstrução da cidade e de sua imagem no cenário global. Na segunda parte do trabalho, a partir do estudo GPU Puerto Norte, em Rosario, Argentina, discute-se os interesses, atores e alguns reflexos gerados pelo projeto para a antiga área ferro-portuária. Além disso, o trabalho busca expor um breve histórico da produção da cidade pós-fordista, destacando algumas características e impactos originários do modelo nas cidades. Compreende-se como necessária a análise dos impactos gerados pela implantação de grandes projetos urbanos de forma a contribuir no debate e planejamento de intervenções mais adequadas às realidades urbanas contemporâneas.

Palavras-chave: Fordismo; Pós-fordismo; Políticas urbanas; Neoliberalismo; Grandes projetos urbanos.

Biografia do Autor

Arthur Martins de Oliveira, PUCPR - Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana (PPGTU)

Arquiteto e Urbanista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie - FAU Mackenzie (2011 - 2016) 


Mestrando pela PUCPR no programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana (PPGTU) (2018 - 2020)

Publicado
2020-02-20
Seção
Artigos